O dólar começou a quarta-feira em queda ante o real, estendendo movimento da véspera sob a batuta do movimento da moeda no exterior, em meio a um maior apetite por ativos de risco diante de esperanças quanto a uma vacina para o Covid-19.

Às 9h34, o dólar à vista recuava 0,72%, a 5,3100 reais na venda. Na véspera, a moeda caiu 0,73%.

Na B3, o dólar futuro cedia 1,25%, a 5,3075 reais.

No exterior, o índice do dólar frente a uma cesta de moedas perdia 0,31%, enquanto moedas de maior risco —como o real— lideravam os ganhos nos mercados de câmbio, com destaque para rand sul-africano (+1,4%), coroa norueguesa (+1,1%) e peso mexicano (+0,8%).

“Os mercados na madrugada receberam uma injeção de ânimo ao serem informados dos avanços da vacina da Moderna”, disse Pablo Spyer, diretor de operações da Mirae Asset.

A norte-americana Moderna produziu uma vacina experimental contra o Covid-19 que provocou respostas imunológicas em todos os 45 voluntários saudáveis. Isso fortaleceu esperanças de que a pandemia possa ser controlada e, assim, economias possam avançar em processos de reabertura.

Em Wall Street, os futuros do S&P 500 e do Dow Jones subiam 1,4% e 2%, respectivamente, enquanto na Europa as ações saltavam 2%. As commodities —cuja alta beneficia moedas de perfil como o do real— ganhavam 0,6%, puxadas pela valorização de 1,1% do petróleo.

No Brasil, o mercado analisava ainda dados de inflação medida pelo IGP-10 de julho, que saltou 1,91% sobre junho, quando avançou 1,55%.

REUTERS

Mais Lidas