Há muito tempo, físicos suspeitam que as misteriosas partículas "fantasmas" que nos rodeiam poderiam ajudar a avançar muito na compreensão da verdadeira natureza do Universo.

Agora os cientistas acreditam que encontraram uma maneira de provar se essas partículas existem ou não.

O centro europeu de investigação de partículas, Cern, aprovou uma experiência concebida para encontrar provas da sua existência.

O novo instrumento será mil vezes mais sensível a essas partículas do que os dispositivos anteriores.

Ele esmagará as partículas em uma superfície dura para detectá-las, em vez de umas contra as outras, como o principal dispositivo do Cern, o Grande Colisor de Hádrons (LHC, por suas siglas em inglês) — o maior acelerador de partículas do mundo.

Uma nova simulação realizada por um supercomputador desafia as teorias anteriores sobre a origem da Lua. Ela pode ter se formado poucas horas depois da colisão entre a Terra e um corpo do tamanho de Marte, chamado de Theia.

Os destroços desse impacto deram origem a dois corpos, sendo a Lua o menor deles.

Segundo essa teoria, uma grande quantidade de material da Terra acabou se tornando parte da Lua. Isso explicaria porque a composição da Lua é tão semelhante a da Terra.

Amostras das profundezas da superfície lunar são necessárias para confirmar a teoria.

Quando alguém se sente ameaçado ou em situação perigosa, o sistema nervoso ativa o medo, um mecanismo de defesa essencial, que avisa sobre a possibilidade de perigo e coloca em alerta. Às vezes, porém, o medo vem mesmo sem a presença de ameaças concretas.

Episódios de estresse grave ou com risco de vida podem induzir o medo em situações que não representam uma ameaça real. Vivenciar esse medo generalizado é psicologicamente prejudicial e, com o tempo, pode acarretar distúrbios mentais, como o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT).

Uma equipe de neurobiólogos da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, identificou as mudanças da bioquímica cerebral que induzem o medo na ausência de ameaças, e acionou os circuitos neurais que causam a experiência do medo generalizado.

Astrônomos esperam que uma “nova estrela” apareça no céu noturno a qualquer momento até o mês de setembro, e promete ser uma visão celeste única, de acordo com a Nasa.

 O evento esperado de brilho intenso, conhecido como uma nova, ocorrerá na constelação de Corona Borealis, ou Coroa do Norte, da Via Láctea, que está localizada entre as constelações de Boötes e Hércules.

Enquanto uma supernova é a morte explosiva de uma estrela massiva, uma nova se refere à explosão súbita e breve de uma estrela colapsada conhecida como anã branca.

Alguns hábitos simples ajudam a atingir uma vida mais feliz, segundo cientistas. Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Bristol desenvolveu um curso chamado “Ciência da Felicidade” que mostra que o contentamento pode ser aprendido e conquistado com uma série de práticas que devem ser mantidas a longo prazo.

 Em estudo recente, publicado em março deste ano na revista científica Higher Education, os pesquisadores descobriram que os hábitos ensinados no curso podem levar ao aumento do bem-estar, principalmente quando fazem parte do dia a dia das pessoas.
 

“É como ir à academia – não podemos esperar fazer uma aula e estar em forma para sempre. Tal como acontece com a saúde física, temos que trabalhar continuamente na nossa saúde mental, caso contrário as melhorias serão temporárias”, afirma o autor sênior da pesquisa, Bruce Hood.

Lançado em 2018, o curso “Ciência da Felicidade” foi o primeiro desse tipo no Reino Unido. O objetivo é ensinar aos alunos o que os estudos nas áreas de psicologia e neurociência dizem sobre a felicidade. Segundo o atual estudo, os alunos que fizeram o curso relataram uma melhoria de 10% a 15% no bem-estar. Além disso, aqueles que mantiveram os hábitos aprendidos no curso mantiveram esse nível de bem-estar dois anos depois.

A explosão de um filamento magnético, que abriu um “cânion de fogo” no Sol, pode desencadear tempestades geomagnéticas na Terra nesta quarta-feira (20). Mas, o que era esperado como um evento moderado pode se tornar mais grave, em razão de uma mancha solar incomum considerada potencialmente perigosa pela NASA.

Por que essa mancha solar é potencialmente perigosa?

* Designada AR3615, essa região ativa do Sol abrange mais de dez núcleos escuros espalhados aleatoriamente por uma ampla área;
* Enquanto a maioria das manchas solares são bipolares – com apenas dois polos magnéticos dominantes (positivo e negativo), a AR3615 parece ter diversos polos esmagados juntos;
* A proximidade de múltiplos positivos (+) e negativos (-) dentro de um único grupo de manchas solares pode levar a uma reconexão magnética e fortes explosões solares.

O Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa) ordenou a todos comerciantes, varejistas ou atacadistas, recolherem de suas prateleiras dez marcas de azeite de oliva extravirgem.

Conforme determinação divulgada na última sexta-feira (15), devem ser retiradas de circulação as marcas:

Terra de Óbidos;
Serra Morena;
De Alcântara;
Vincenzo;
Az Azeite;
Almazara;
Escarpas das Oliveiras;
Don Alejandro;
Mezzano;
Uberaba. 

Aos consumidores, o Mapa orienta que parem de consumir imediatamente o produto, “podendo solicitar sua substituição nos moldes determinado pelo Código de Defesa do Consumidor. Podem ainda comunicar o Mapa pelo canal oficial Fala.BR, informando o estabelecimento e endereço onde foi adquirido o produto.” 

A terceira onda de calor de 2024 chegou a algumas regiões do Brasil.

Áreas do Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil enfrentam nesta semana (11 a 15 de março) uma nova onda de calor, segundo alerta do Inmet, com temperaturas que podem chegar a 40°C em alguns locais.

Embora algumas regiões do Brasil frequentemente experimentem altas temperaturas e os brasileiros estejam geralmente mais adaptados ao calor em comparação com populações de países europeus que enfrentaram desafios semelhantes nos últimos meses, a situação é particularmente perigosa devido à sua extrema intensidade.

Estar exposto - especialmente nos horários de pico do calor, entre 12 e 16 horas - pode causar alterações no organismo que oferecem risco à saúde, principalmente para grupos com saúde mais frágil, incluindo idosos, pessoas com comorbidade, e crianças pequenas.

Enquanto o Brasil vive uma explosão de casos de dengue, uma cidade do interior de São Paulo enfrenta a crise com relativa tranquilidade.

Santa Rosa do Viterbo teve apenas 12 casos da doença neste ano e nenhuma morte.

O município tem pouco mais de 26,7 mil habitantes, o que significa que apenas um em cada 5,34 mil moradores foram infectados em 2024.

Isso representa uma redução acentuada em relação a quando o município ainda não tinha lançado mão de uma nova estratégia de combate à dengue.

A Prefeitura aponta que conseguiu controlar a disseminação da doença com a instalação de armadilhas para capturar mosquitos Aedes aegypti, o vetor de transmissão da dengue.

A cafeína é um composto presente em alimentos como o café, o chá, o chocolate e as bebidas energéticas. E ela não é conhecida apenas pela sua capacidade de nos animar e nos manter em estado de alerta.

A cafeína também é considerada aliada no âmbito do rendimento físico. Seu papel é fundamental no metabolismo energético e na oxidação de gorduras durante os exercícios.

Como o corpo usa a energia dos alimentos?
Para compreender o efeito da cafeína, precisamos primeiro entender como e de onde o corpo obtém energia.

Resumidamente, as células das fibras musculares extraem a energia dos carboidratos, das gorduras e das proteínas. Elas transformam tudo em uma das "moedas de troca" que as células entendem: o ATP ou trifosfato de adenosina.

O positrônio é uma substância extremamente rara, que geralmente existe por apenas 142 bilionésimos de segundo e é capaz de gerar grandes quantidades de energia. Estudá-la pode trazer mais entendimento sobre a antimatéria que existia na origem do Universo e, com isso, revolucionar a Física, o tratamento do câncer e talvez até viagens espaciais.

Até aqui, no entanto, tem sido quase impossível analisar a substância porque seus átomos se movem demais.

Agora os cientistas têm uma solução alternativa: congelá-la com lasers.

"Os físicos estão apaixonados pelo positrônio", disse Ruggero Caravita, que liderou a pesquisa na Organização Europeia de Pesquisa Nuclear (Cern), que fica perto de Genebra. "É o átomo perfeito para fazer experimentos com antimatéria."

Esquecer-se de coisas no dia a dia pode ser um pouco irritante ou, à medida que envelhecemos, um pouco assustador. Mas é parte da função normal da memória - permitindo-nos seguir em frente ou abrir espaço para novas informações.

As nossas memórias não são, na verdade, tão confiáveis quanto a gente pensa. Mas que nível de esquecimento é normal? Tudo bem confundir os nomes dos países, como o presidente dos EUA, Joe Biden, fez recentemente? Vamos analisar as evidências.

Quando nos lembramos de algo, nossos cérebros precisam aprender a memória (codificar), mantê-la segura (armazenar) e recuperá-la quando necessário (recuperar). E o esquecimento pode ocorrer em qualquer parte desse processo.