O empreendimento deve entrar em operação até o final de 2011, gerando cerca de 450 empregos diretos e mil indiretos. A escolha do local foi estratégica e contou com o empenho do prefeito daquela cidade. Veja matéria enviada por nosso colaborador local.

Borborema terá Usina de Produção de Álcool e Energia

CEVALE trará inúmeros benefícios para Borborema

Colaboração: Jornalista Com. José Commandini Neto

Na sexta-feira, 24/09, a Folha de Borborema foi convidada pela CEVALE – Central Energética Vale do Tiete Ltda, para participar de uma reunião no Clube Recreativo Borboremense (CRB), onde foram apresentados os 44 associados da empresa, a Diretoria e os avanços para a instalação da Usina de Produção de Etanol e Energia, em nossa cidade. A Folha trás em primeira mão as informações que foram apresentadas nesta reunião.

O empreendimento, que terá investidores em Borborema, deve ficar pronto em 2011 e vai gerar cerca de 450 empregos diretos na indústria fabril e 1000 empregos indiretos. Sem falar da geração de empregos para a produção da matéria prima. A Central Energética Vale do Rio Tiete Ltda (CEVALE), nome dado à usina, que será instalada às margens da estrada municipal “Pedro Pereira Pinto”, que interliga o município ao principal atrativo turístico do município, a Praia do Juqueta, será construída em uma área de 176.000 m², ficando a 2.400 metros do Rio Tiete.

Perguntamos ao Presidente do Conselho da CEVALE, Joaquim Nelson Alves, como ocorreu a escolha do local para a instalação deste empreendimento: “A escolha do local foi difícil, a principio pretendíamos montar está usina no município de Novo Horizonte, onde residem a maioria dos sócios, mas de acordo com o zoneamento agrícola, a área daquele município por já ter duas usinas, ficou como área de restrição, e a área de Borborema estava liberada sem restrições”, afirmou. Segundo ele, o Conselho e a Diretoria da CEVALE achou por bem instalar este empreendimento em nossa cidade, onde foram muito bem recebidos, apoiados e acolhidos pelo Prefeito Jorge Feres Junior, que os auxiliou na escolha da área. “Porque não é qualquer local que se pode montar um empreendimento deste porte. Contratamos uma empresa especializada em licenças ambientais para a realização do levantamento ambiental, sendo analisadas diversas áreas, onde foi escolhida a área próxima a Praia do Juqueta”, explicou Joaquim Nelson. 

Na obra deverão ser investidos cerca de 90 milhões de reais para a fabricação de Álcool Etílico Carburante e para a co-geração de Energia. As obras deverão ser iniciadas assim que forem liberadas todas as licenças necessárias, a licença ambiental já foi concedida pela CETESB. A expectativa é que a usina entre em operação já no final de 2011. Inicialmente, estima-se que serão produzidos 110 milhões de litros de Etanol e 15.600 MWA de Energia. A geração de Energia será comercializada, e exportada através da distribuidora local.

A Folha de Borborema perguntou ao Engenheiro Agrônomo e Coordenador do Projeto, Marcos de Oliveira Machado, se as linhas de transmissão de energia passariam pelas propriedades rurais do município, ele nos afirmou que não, que será utilizada a linha de transmissão já existentes no local da instalação.O Engenheiro Marcos falou sobre os benefícios que esse novo empreendimento trará para Borborema: “Além da geração de novos empregos, a arrecadação de impostos será significativa para Prefeitura local, e prosperidade no desenvolvimento da cidade”, afirmou. Nosso Secretário de Agricultura e Abastecimento, Marcelo Cury Sahão, também foi questionado sobre esses benefícios: “Hoje estamos vendo que a parte sucroalcooleira do estado é onde está sendo mais rentável, sem muito risco para a agricultura, e hoje vemos que as usinas da região, não só de Novo Horizonte, mas de Iacanga (SP), de Nova Europa (SP) e de Catanduva (SP), está sendo de muito proveito para a cana de nosso município. Se Deus quiser, tanto os fornecedores daqui como de Novo Horizonte, nós vamos melhorar e ter uma melhor distribuição de renda, para todos os produtores e para nosso município, abrangendo todos os setores com melhoria e progresso para a cidade”, ressaltou.

Já para o Vice-Prefeito Vladimir Antonio Adabo, a cana de açúcar já é uma realidade para nosso município, onde a única diferença é que até o momento não tínhamos uma usina funcionando aqui em nossa cidade. “Aquilo que hoje Borborema perde com a geração tanto de emprego quanto de arrecadação, nós passaremos a ter essa vantagem em nosso município, com a usina implantada, porque atrás dela vêm inúmeros empregos, haverá um maior movimento em nossa cidade, teremos criados postos de trabalho, trazendo uma melhor arrecadação de tributos e no caminho da usina também conquistaremos novas empresas que virão para dar o suporte, onde uma grande empresa se instala, ao redor dela, trará indiretamente benefícios a outras pequenas empresas vão estar no segmento”, explicou nosso Vice-Prefeito.

O Engenheiro Marcos, também foi questionado se com a instalação dessa usina de produção de etanol em nosso município, o preço do álcool teria alterações. Explicou-nos que não, uma vez que o álcool produzido não pode ser comercializado diretamente a postos de combustíveis, e sim através de distribuidoras. Com relação aos possíveis impactos ambientais, a Folha apurou que eles foram determinados por uma empresa especializada, sendo demonstrado atendimento em todas condicionantes ambientais, através de equipamentos não poluentes e controle de evasão de efluentes produzidos, de tal forma que a análise técnica da CETESB recomendou a emissão da licença solicitada.

Ainda falando em meio ambiente, durante a reunião foi explicado qual seria o destino do bagaço de cana e da linhaça. Será utilizado 250k de bagaço, por tonelada de cana moída, na produção de energia e 1m³ de vinhaça, por tonelada, será utilizada para fertirigação, das lavouras de cana de açúcar. O Coordenador do Projeto, Engenheiro Marcos falou sobre a CEVALE: “A CEVALE é uma empresa de capital limitado, composta por 44 sócios, empresários e produtores de cana de açúcar da região de Borborema e Novo Horizonte, que unidos acreditaram na possibilidade do projeto, estando hoje à empresa licenciada ambientalmente, e já iniciando estudos de viabilização de recursos, com diversos grupos de investimentos, do setor sucroalcooleiro”, explicou.

Joaquim Nelson deixou um agradecimento final à população borboremense: “Gostaria de agradecer o povo da cidade pela acolhida, que acreditou em nós, que confiou no projeto, onde fomos muito bem recebidos, onde há vários Borboremenses participando do projeto”. O Engenheiro Marcelo também agradeceu toda a população e a todos aqueles que apoiaram este empreendimento, que segundo ele é o futuro para todos e para o próprio interesse do município e da sociedade em geral. E finalizando, também agradeceu ao apoio e presença da Folha de Borborema, que participou desta reunião no CRB. 

Mais Lidas