cao

O adolescente de 14 anos que se arriscou ao entrar em uma estreita tubulação e esgoto em Lins para salvar um cachorro disse que ficou com medo de ficar preso na estrutura, mas não mediu esforços para resgatar o animal. O resgate aconteceu na tarde de quarta-feira (5) no Residencial Beatriz.

cao2

“Não sei dizer porque entrei lá. Meu irmão só me perguntou se eu tinha coragem de entrar na tubulação e eu disse que sim. Acho que foi Deus, sabe?”, afirma Antônio Augusto Ferreira.

Com a ajuda do irmão e alguns moradores, Antônio amarrou uma corda na cintura e entrou na tubulação. Eles tinham chamado os bombeiros após descobrir que o cão estava lá, mas todos estavam com medo que ele fosse levado pelo esgoto até o rio.

“Eu desci com a lanterna, a corda amarrada e achei o cachorro. Ele não se mexia, estava muito machucado, então peguei ele e comecei a subir, foi mais difícil essa parte. Eu achei que ia ficar preso lá dentro”, confessa.

A prima de Antônio filmou parte do resgate. Nas imagens é possível ver o momento em que o cachorro é retirado e logo depois vem o adolescente que é puxado pelo irmão e vizinhos com auxílio da corda.

Chamado de Tiquinho, o cachorro da raça pinscher é do vizinho de Antônio, o motoboy Ronaldo Luciano da Silva. Ele conta que o cãozinho está com a família desde que nasceu há 17 anos e em um descuido dele acabou saindo para rua e foi atropelado.

“Eu abri a porta e ele acabou escapando e foi atingido pelo carro. Eu vi que ele caiu na tubulação, mas achei que tinha ido direto para o córrego que tem no local e fui até lá procurar. Quando voltei o Antônio já estava dentro da tubulação para pegá-lo”, conta.

Cirurgia e recuperação
Tiquinho está se recuperando em uma clínica veterinária e precisou passar por uma cirurgia de emergência.

O veterinário Guilherme Fontana ficou surpreso que o cão tenha sobrevivido a tudo isso que passou, ter sido atropelado e depois jogado na tubulação. Segundo ele, o Tiquinho, apesar de ferido, estava forte.

“Ao ser atropelado, o carro esmagou o abdômen dele causando um ferimento em toda a extensão da barriga. É um corte bem grande para o tamanho dele, mas ele está sendo tratado com antibióticos e analgésicos e a perspectiva de recuperação é muito boa.”

Aliviado, o dono do Tiquinho espera que o cãozinho possa voltar logo para casa. “Graças a Deus, ele foi atendido rápido e agora se recupera com os cuidados do veterinário”. (G1)

Mais Lidas