O incêndio que atingiu o prédio da Secretaria de Saúde de Botucatu e destruiu milhares de testes de Covid-19 e suplementos alimentares pode ter sido criminoso, segundo o delegado seccional Lourenço Talamonte Neto.

A polícia científica esteve no local para apurar as causas do incêndio que aconteceu na madrugada deste sábado (11). O delegado informou que já está comprovado que o fogo começou em um vagão abandonado que fica na linha férrea nos fundos do prédio da secretaria.

“Pode ter sido criminoso. Ali é um local que a gente sabe que é frequentado por usuários de drogas, os vagões abandonados dessa ferrovia. Provavelmente essas pessoas atearam fogo nesse vagão para se esquentar na madrugada e agora vai ser apurado", explica o delegado.

Prejuízo

De acordo com o secretario de saúde, André Spadaro, o fogo queimou pelo menos 2 mil testes rápidos e 3 mil kits de coleta do teste PCR. A pasta também perdeu R$ 300 mil em leites especiais que seriam entregues para crianças com alergia.

Apesar da perda dos milhares de testes para Covid, o secretário garantiu que o programa de testagem na cidade não será interrompido, pois a Secretaria possui estoques em outras unidades e vai receber mais 14 mil testes rápidos nesta semana.

De acordo com a prefeitura de Botucatu, no local também tinham móveis que seriam levados a novas unidades de saúde do município, equipamentos de proteção individual (EPIs), documentos, eletrodomésticos, entre outros objetos.

Em nota, a Rumo esclareceu que o vagão incendiado não é arrendado da concessionária, mas que estava apoiando as tratativas de retirada do vagão do local, junto ao DNIT.

A concessionária também informou que mantém equipes de vigilância que fazem fiscalizações nas áreas sob sua responsabilidade para tentar coibir atos como o incêndio, mas que a empresa não tem poder de polícia. Por fim, disse que está colaborando com as investigações. (TVTem)

Mais Lidas