Dois inquéritos foram abertos, em Bariri e Itapuí, onde as vítimas reconheceram o prefeito de Bariri como o homem que as teria abordado na rua. Defesa ainda não se manifestou sobre o caso.

prefeito

A polícia Civil abriu dois inquéritos para investigar o envolvimento do prefeito interino de Bariri, Paulo Henrique de Araújo, que está preso suspeito de estuprar uma menina de 8 anos em Bauru (SP), em outros dois casos de assédio contra crianças.

Duas mães procuraram a polícia nesta terça-feira (24) para denunciar os casos. Os crimes registrados como atos obscenos na presença de criança aconteceram na quarta-feira (18), em Bariri, e na sexta-feira (20), em Itapuí.

As vítimas são duas meninas, de 9 e 10 anos, que reconheceram o prefeito por meio de fotos apresentadas pela Polícia Civil.

O novo advogado de defesa, Edson Reis, ainda não se manifestou sobre o caso. Procurado pelo G1, ele informou que assumiu recentemente o caso e ainda vai se inteirar de todo o processo para poder se manifestar.

Em Bariri, câmeras de segurança flagraram a movimentação de um carro preto (veja no vídeo acima) que, segundo uma mulher que não quer se identificar, era dirigido por um homem que abordou a filha dela, de 9 anos, no ponto de ônibus.

Já em Itapuí, dois dias depois, um homem em um carro com as mesmas características parou uma criança de 10 anos e pediu para que ela entrasse no veículo. Segundo o delegado seccional, essa criança relatou que o homem estava com o órgão genital exposto e praticando ato libidinoso.

"Pelas vítimas não se conhecerem, não se comunicarem, serem de cidades diferentes e os fatos terem ocorrido em dias diferentes, tudo nos leva a crer que o suspeito preso vinha desde quarta-feira praticando crimes sexuais contra menores", afirmou Ricardo Martines, delegado seccional de Bauru.

Martines explica que as provas desses dois novos casos serão juntadas ao inquérito que apura o estupro da menina em Bauru para sustentar a tese de que o prefeito interino afastado vem cometendo crimes sexuais contra crianças e deve continuar preso.

“Como houve, sim, um ato libidinoso na presença da criança, ele [Paulo Henrique] cai em outro crime que também trata de crimes sexuais contra vulnerável. Além disso, fotograficamente ele foi reconhecido sem sombra de dúvidas”, completa o delegado.

A Polícia Civil tem dez dias pra concluir o inquérito. Já o laudo que vai comprovar se houve o estupro sai em até 30 dias. Na investigação, a polícia analisa ainda as imagens de circuito de segurança que mostram a abordagem à menina de 8 anos que teria sido estuprada em Bauru.

Abordagem em Bauru
A irmã da vítima de Bauru contou que, na manhã do dia 21, a menina tinha saído para ir até a padaria do bairro quando foi abordada pelo homem em um carro preto. Ele teria dito que era um policial à paisana e que havia um criminoso no bairro.

A menina foi levada para um bairro de chácaras e encontrada por um casal, após conseguir fugir do veículo.

Logo em seguida os policiais encontraram o prefeito na mesma região, sem camisa e bastante alterado. O carro dele também estava no local.

Prisão preventiva
Paulo Henrique Barros de Araújo foi preso em flagrante por estupro de vulnerável consumado e teve a prisão preventiva decretada na audiência de custódia realizada no Fórum de Bauru, no último domingo (22).

Ele estava na penitenciária de Iaras (SP), mas foi transferido para o presídio de Tremembé na noite desta segunda-feira (23), segundo a SAP. Por ter foro especial, ele tem direito a ficar em uma cela especial, separado dos outros presos.

Expulsão do partido
Paulo Henrique assumiu a prefeitura de Bariri em janeiro de 2017, logo após ter sido eleito presidente da Câmara porque os candidatos a prefeito e vice mais votados nas eleições de 2016 tiveram a candidatura cassada com base na lei da Ficha Limpa.

Ele foi afastado das funções em uma decisão unânime dos vereadores em sessão realizada nesta segunda-feira (24) e também será investigado em uma Comissão Processante.

O atual presidente da Câmara, Vagner Matheus Ferreira (PSD), assumiu a prefeitura interinamente até as novas eleições, marcadas para 3 de junho.

Paulo Henrique também foi expulso sumariamente do PSDB, partido pelo qual foi eleito vereador. (TVTem)

Mais Lidas