No último dia 29 de junho, a Terra registrou seu dia mais curto desde que os cientistas começaram a usar relógios atômicos de alta precisão para medir a velocidade de rotação do nosso planeta, nos meados de 1960.

De acordo com um levantamento feito pelo site Time and Date com dados do Serviço Internacional de Sistemas de Referência e Rotação da Terra (IERS, na sigla em inglês), a Terra completou uma volta completa em torno do seu eixo com 1,59 milissegundo a menos que exatas 24 horas (1 ms corresponde a um milésimo de segundo, ou cerca de 0,001s).

O Ministério da Saúde confirmou nesta sexta-feira (29/7) a primeira morte por varíola dos macacos no Brasil. De acordo com a pasta, a vítima é um homem de 41 anos que morava na cidade de Uberlândia, em Minas Gerais.

O paciente, segundo o Ministério da Saúde, tinha "imunidade baixa e comorbidades, incluindo câncer (linfoma), que o levaram ao agravamento do quadro". Ele foi "hospitalizado em hospital público em Belo Horizonte, sendo depois direcionado ao CTI. A causa de óbito foi choque séptico, agravada pelo Monkeypox (varíola dos macacos)", segundo uma nota enviada à imprensa.

Um estudo inédito no Brasil busca identificar se há formas de prevenir o diabetes tipo 1. A pesquisa, coordenada pela Universidade Federal do Ceará (UFCE), conta com estudiosos de todo o país, entre eles o endocrinologista Carlos Eduardo Barra Couri, que atua em Ribeirão Preto (SP).

“O diabetes tipo 1 é uma doença autoimune que não tem prevenção até hoje consagrada, e a gente quer saber se isso é possível. É uma doença que acomete muitas crianças e jovens. Se a gente conseguir pelo menos retardar o diagnóstico, a gente vai facilitar a vida de muita gente”, diz Couri.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou, há seis dias, a varíola dos macacos como emergência de saúde pública de interesse internacional. Conhecida internacionalmente como monkeypox, a doença, endêmica em regiões da África, já está atingiu neste ano 20.637 pessoas em 77 países.

No Brasil, já são 978 casos, sendo 744 apenas em São Paulo. Considerando a importância da informação para combater o avanço do surto, a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) realizou nesta quinta-feira (28) um encontro onde especialistas apresentaram o que já se sabe sobre a doença e também responderam dúvidas de participantes presenciais e online.

A partir desta quinta-feira (28), uma massa de ar polar que está chegando ao Sul do país derruba as temperaturas ao longo de todo o fim de semana também no Sudeste e Centro-Oeste.

Nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, serão esperadas geadas, temperaturas abaixo de zero e até neve em algumas cidades serranas. As capitais Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre terão temperaturas mínimas abaixo dos 10°C – no Sudeste, São Paulo viverá o mesmo clima no domingo (31), com mínima de 9°C.

Na sexta-feira (29), a frente fria deverá trazer chuva e baixar as temperaturas na capital paulista. No entanto a chuva deverá ser apenas na sexta. O sábado será o dia mais frio da semana, com mínima de 10º C e máxima de 18º C.

No domingo, a máxima deve voltar para os 28º C, e, durante a semana, o tempo aberto e com máximas altas volta a predominar.

G1

Em 75 dias - no dia 9 de outubro de 2022 - entram em vigor as novas regras para rotulagem de alimentos. A novidade do novo modelo é a rotulagem nutricional frontal, um símbolo informativo que deve constar no painel da frente da embalagem. Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o objetivo é esclarecer o consumidor, de forma clara e simples, sobre o alto conteúdo de nutrientes que têm relevância para a saúde.

Na infância, muitas vezes somos ensinados a usar a expressão "o que vem de baixo não me atinge", quando ouvimos um insulto.

Mas, com a experiência, os adultos entendem que este velho ditado está longe de ser verdade.

Enquanto lesões físicas podem levar semanas para cicatrizar, comentários negativos podem deixar cicatrizes para o resto da vida.

Seja uma crítica feita serenamente por um professor na sala de aula ou um comentário cruel disparado no calor de uma discussão por um amigo ou namorado, tendemos a lembrar muito melhor das críticas do que dos comentários positivos.

Do G1 - Prints de conversas mostram que a fonoaudióloga suspeita de torturar crianças com Transtorno do Espectro Autista (TEA) em sua clínica particular em Duartina, no interior de SP, teria xingado os pacientes em mensagens.
As imagens fazem parte de denúncias de várias mulheres cujos filhos foram atendidos por Bianca Rodrigues Lopes Gonçalves.

Uma mancha solar pode ejetar partículas carregadas de radiação em direção ao planeta terra, de acordo com o observatório de dinâmica solar da Nasa. A mancha denominada de AR 3038 dobrou de tamanho entre domingo,19, e segunda-feira, 20.

Segundo especialistas do site Spaceweather, o AR 38 possui um campo magnético “beta-gama” instável, abrigando energia para erupções solares classe M. Essa classe pode afetar regiões dos pólos magnéticos da Terra e gerar bloqueios radiofônicos.

Apesar da intensidade dessa atividade, não há o que se preocupar. Um sinalizador M9, o mais violento da classe M, tem o potencial de causar apenas 10 minutos de bloqueios nas estações de rádio e alguns problemas para utilizar GPS. Esse fato ocorre pois são ejetados massa coronais (CME), (gás ionizado a alta temperatura, provenientes da coroa solar)

Pesquisadores do Instituto de Química de São Carlos (IQSC), da Universidade de São Paulo, identificaram um método com potencial para prever a gravidade da infecção por covid-19 nos pacientes, a partir da análise do plasma sanguíneo. O sistema pode servir como ferramenta de triagem no atendimento dos infectados e ser utilizado a fim de evitar a evolução da doença. O estudo foi publicado na revista científica Journal of Proteome Research.

De acordo com a pesquisa, os pacientes infectados pela doença tiveram variações na concentração de seis substâncias encontradas no sangue, chamadas de metabólitos, sendo elas glicerol, acetato, 3-aminoisobutirato, formato, glucuronato e lactato. As análises revelaram que, quanto maior o desequilíbrio na quantidade dessas substâncias no início da infecção, mais graves eram os quadros de saúde que os pacientes desenvolviam.