A Universidade de Oxford e o laboratório AstraZeneca anunciaram, nesta segunda-feira (26), que a vacina que estão desenvolvendo contra a Covid-19 induziu "uma forte resposta imune" em idosos durante testes de fase 2 feitos no Reino Unido. Os resultados preliminares dos testes serão publicados "nas próximas semanas" em revista científica, segundo a Oxford.

O presidente Jair Bolsonaro disse que "o povo brasileiro não será cobaia de ninguém" para justificar sua decisão de vetar a compra da vacina da Sinovac contra a Covid-19, anunciada pelo Ministério da Saúde na véspera, mas omitiu a informação de que a vacina só seria adquirida pelo ministério após obtenção de registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Uma pesquisa feita pela agência científica australiana CSIRO mostrou que o coronavírus pode permanecer ativo por 28 dias na tela de aparelhos celulares e em cédulas de dinheiro. O estudo foi feito com amostras que foram testadas no escuro e a 20 graus e, de acordo com o experimento, o período em que o coronavírus “sobreviveu” representa 11 dias a mais do que o vírus da gripe.

Uma minoria significativa de pessoas que sofrem com sintomas graves da covid-19 tem anticorpos que boicotam o funcionamento do sistema imunológico ao bloquear um tipo determinado de mensageiro molecular. Além disso, fatores genéticos também explicariam essa resposta inadequada e a ocorrência de casos graves em 15% dos infectados. As constatações são de dois artigos publicados na quinta-feira, 24, na revista Science.

A Johnson & Johnson anunciou, nesta quarta-feira (23), que irá começar testes de fase 3 da sua candidata a vacina para a Covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2). Essa etapa de testes, que é a última, deverá incluir até 60 mil voluntários em 8 países, inclusive no Brasil, e aceitará participantes acima dos 60 anos e com doenças preexistentes. A idade mínima para participar é de 18 anos.